Ainda há tempo para programar uma viagem para o Carnaval

Para mim, viajar é sempre um investimento. Hoje, depois que tomei gosto pela coisa, deixei de tratar o assunto como um gasto. Afinal, é o momento que você conhece coisas novas e vivência uma cultura totalmente diferente da sua. Em cada esquina que pisamos, é algo novo que conhecemos e uma história para ficar na memória. De uma pequena cidade do Sul Catarinense, já pisei em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Rio Grande do Sul e Argentina. Sei que não foram tantos os lugares, se comparado com outros viajantes, mas todos me trouxeram experiências incríveis. Minha última viagem mais longa foi para Belo Horizonte, em outubro, e agora já estou novamente de malas prontas. Vou fazer, junto ao meu marido, uma aventura neste Carnaval. Reservamos tudo ainda nesta semana e ainda conseguimos preços bastante bons! Isso quer dizer que você também ainda pode programar um super passeio neste feriadão! travel-paris-tumblr_large

Dicas para você fazer uma boa viagem!

  1. Se ainda não tem um hotel em mente, reserve um dia para encontrar um local para ficar durante o período da viagem. Olhe em sites de agência de viagens, como CVC e Tam Viagens, converse com o seu agente de viagens, e olhe sites como Decolar e Booking. Preste atenção, você pode encontrar preços diferenciados. Consegui economizar R$ 100 fazendo esta pesquisa
  2. Preste atenção ao seu destino. Neste Carnaval, se você quer folia, vá para os locais mais badalados, mas se quer descanso, procure por cidades mais calmas. Atente, também ao horário de funcionamento do comércio e restaurantes durante o feriadão.
  3. Veja se você está com toda a documentação em dia para poder passear sem problemas!
  4. Se for passear com o carro, não deixe de fazer todas as revisões necessárias!
Anúncios

Como encontrar um Food Truck na sua cidade?

Assim que conheci, logo me apaixonei pela proposta dos Food Truck. É uma comida diferenciada, na aparência e no sabor, servida de forma itinerante! Experimentei em Atlântida, no The Movement Food Truck, e relatei a experiência aqui. Mas, depois não tive a oportunidade de ir novamente.

Entretanto, com a ajuda da internet, fica cada vez mais fácil saber onde os veículos adaptados estão. Encontrei um site, o Food Truck nas Ruas, que ajuda o usuário a localizar os restaurantes. Muito útil para quem vai viajar ou mesmo para quem pretende ter uma experiência nova.

Captura de Tela 2015-01-27 às 10.41.11

Por enquanto, a página fornece a localização e o cardápio dos Food Trucks nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Brasília. Em breve haverá também da Bahia e de Minas Gerais. Para quem prefere o mobile, o site também conta com aplicativos disponíveis na Play e na App Store.

Batalha na GNT

E por falar em Food Truck, o canal GNT está me dando água na boca. No dia 2 de março, haverá a estreia do reality show “Food Truck – A Batalha”. Só o teaser do programa já está me dando ansiedade. A intenção do programa é mostrar a rotina nesses caminhões e os participantes deverão passar por diversas batalhas gastronômicas!

O que posso, ou não, levar dentro do avião

Viajar é tudo de bom. O tópico do texto de hoje pode ser bem batido, mas nunca é demais lembrar o que pode e o que não pode se levar em um avião durante uma viagem. Até porque, a dúvida é frequente tanto em marinheiros de primeira viagem, quanto naqueles que já estão carecas em voar!

Em meus poucos embarques já vi muita gente tendo que deixar objetos para trás, como perfumes e até doce de leite. O problema maior é ainda nos voos internacionais, cujas regras são um pouquinho diferentes das do Brasil (mas isso é assunto para outro post). E ninguém quer perder alguma coisa, que pode ser bem valiosa!

Vamos as dicas!

Na bagagem de mão, uma bolsa com no máximo cinco quilos, posso levar cobertores, guarda-chuva, máquina fotográfica, laptop, material de leitura para a viagem. Também posso levar, em voos nacionais, remédios, líquidos e aerossóis.

Lembre-se: não é permitida a entrada na aeronave com armas, ou mesmo réplicas, objetos pontiagudos, cortantes, substâncias inflamáveis, químicas ou tóxicas que possam colocar em risco a segurança do voo.

 

 

 

 

As imagens foram retiradas da página no Facebook da Secretaria Nacional de Aviação Civil

Como a alta do dólar infuencia na sua viagem?

Todas as nossas viagens, mesmo os destinos mais curtos, são cotados de acordo com o preço do dólar.   Isso é inevitável. Seja pelo combustível ou por qualquer outra coisa, quando a moeda americana sobe, na comparação com o real, os custos do passeio se tornam cada vez maiores.

Desde quando voltei da minha Lua de Mel, em Buenos Aires, notei que o preço da passagem aérea tem subido cada dia mais.  Naquela época, a moeda americana era vendida na casa dos R$ 2,20, porém, hoje ultrapassa os R$ 2,60. Se há  oito meses gastei pouco mais de R$ 1,5 mil ida e volta, hoje não encontro por menos de R$ 2 mil. E assim também ocorre para outros destinos.
Os pacotes comprados nas agências também sofrem alteração, por causa da moeda americana. Aéreo, terrestre e hospedagem, tudo é vendido ao preço do dólar. Quando o cliente fecha a viagem, apenas o valor em dólar é transformado em real, de acordo com a cotação da moeda do turística do dia.
Se a viagem for internacional, é ainda mais importante prestar atenção na cotação da moeda americana. Para fazer o câmbio do dinheiro, há dias em que você ganhará ou perderá. Por isso, monitore o dólar e compre quando o preço estiver menor. A dica é: compre aos poucos, não em um único dia.
Na hora de fazer compras no exterior, também fique atento! Prefira dinheiro ou cartões pré-pagos. Se optar pela função crédito do cartão internacional, você estará sujeito a pagar a mercadoria por um valor ainda mais elevado, pois o dólar será cobrado de acordo com a cotação do dia do fechamento da fatura. E então a surpresa pode chegar: você nunca sabe se a moeda vai cair ou se subirá drasticamente! Além disso, as compras realizadas com o cartão de crédito possuem um imposto especial: o IOF, cuja taxa já ultrapassa os 6%.

Com essas dicas em mãos, agora é hora de se programar e começar a pensar no seu próximo destino!

Sampa versus Buenos

Navegando pela internet em busca de imagens, eis que me deparo com um Tumblr bastante interessante. No Sampa versus Buenos, a artista Vivian Mota faz uma batalha ilustrativas das duas maiores cidades da América Latina.

O Centro de São Paulo bem que se parece com Buenos Aires, os ares são bem parecidos. As duas são cidades bastante antigas, mas cada uma tem as suas peculiaridades. Vivian consegue bem retratar essas diferenças.Abaixo separei algumas das minhas ilustrações favoritas, que vão desde personagens de quadrinhos, passado pelo futebol, as mulheres do país e claro, sem esquecer, do famoso bife de chorizo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tax Free Argentina

Antes de embarcar para a Argentina, li e reli sobre muita coisa. Sabia dos pontos turísticos, dos lugares para comprar e visitar. Contudo, um fato me deixou de queixo caído, ao fazer compras no Alto Palermo Shopping. Eu estava – bem feliz – pagando meus tênis récem comprados na Puma, quando uma plaquinha no caixa chamou a atenção do meu marido. Ali dizia: Tax Free. Logo que saímos da loja ele comentou sobre o assunto. Fiquei curiosa e resolvi testar se realmente funcionava. Pois bem. Voltamos ao caixa e pedimos o Tax Free.

Agora você deve estar se perguntando como funciona esse sistema. 

Bom, primeiro o Tax Free é válido somente para pessoas que são estrangeiras – o nosso caso. Pelo o que eu já li, também existe um sistema parecido em outros países. Como não moramos por lá, e não vamos usufruir do investimento dos nossos impostos, eles são devolvidos para nós.

Contudo, o Tax Free há somente em lojas que vendam uma boa quantidade de produtos hechos en Argentina. Isso é, não espere ir em uma loja da Nike ou Adidas e ter essa vantagem.

Com o ticket na mão, fomos orientados  a guardá-lo muito bem com a nota fiscal, porque precisaríamos deles na hora de voltar para casa.  A troca do valor do imposto pelo dinheiro é feita no aeroporto. No nosso caso, como desembarcamos em Ezeiza, o guichê estava localizado no primeiro andar, bem próximo da porta de entrada do terminal internacional.

Eis que ali estou com cara de cansada para trocar meu imposto

Quando eu fui não havia muita fila. Bastou eu apresentar a nota, preencher um papel e entregar meu documento de identidade. Mas fique atento, tente levar na bagagem de mão algum dos produtos que você adquiriu, eles pediram para ver meus tênis. Feito isso, é hora de subir. No segundo piso há outro guichê e é nesse que você irá fazer a troca.

Há somente uma opção. Faz algum tempo – segundo a pessoa que me atendeu – que não há mais a troca por dinheiro vivo. Tudo bem, eu não queria mesmo para gastar no freeshop. (sqn).. Então todo o dinheiro veio debitado na fatura do meu cartão de crédito. E que maravilha… As minhas compras renderam um bom desconto neste mês!