Cervejaria Lohn Bier, do Sul catarinense, comemora um ano de produção

O que era um hobby de produzir cerveja artesanal em casa, cinco anos atrás, virou o maior empreendimento da família. A história da Lohn Bier começou com o Sommelier e Cervejeiro Richard Westphal Brighenti, sócio proprietário, que queria gastar o tempo fazendo algo que desse prazer e encontrou na cerveja artesanal o que buscava. “O mais interessante da nossa história é que achávamos que eu tinha sido o primeiro da família a fazer cerveja artesanal, mas descobrimos que minha avó paterna fazia cerveja em casa, encontramos uma receita com a letra dela”, conta Richard.

Entre cursos e concursos, Richard continuou sua produção caseira, quando ano passado a família de sua esposa Tatiani Felisbino Brighenti, também sócia e proprietária, resolveu investir em um novo negócio após trinta anos na avicultura, e todos compraram a ideia de Richard: produção de cerveja artesanal.

O nome da cervejaria homenageia o sobrenome da matriarca, de origem alemã. A família reuniu ingredientes como profissionalismo, comprometimento, amor e, em janeiro de 2014, as obras da Cervejaria e do Pub Lohn Bier iniciaram. “Nós pesquisamos e vimos que a cerveja artesanal estava em alta, mas mesmo assim, como em qualquer empreendimento o começo foi complicado. Inicialmente tínhamos capacidade instalada para 16 mil litros e todos colocavam a mão na massa. Até hoje, vou à roça para buscar a cana, que é ingrediente de uma de nossas cervejas”, conta Francisco Felisbino.

Esq para direita Richard, Tatiani, Francisco e Eduardo

Em dez meses a produção foi dobrada para 32 mil litros, atualmente tem capacidade instalada para 64 mil litros e até o fim do ano estará em 128 mil litros. Em um ano de vida, a Lohn Bier comemora uma capacidade instalada oito vezes maior, com nove rótulos e dois prêmios conquistados no Concurso Nacional de Cerveja. “Concorremos com 840 rótulos, sendo que a nossa cerveja Pale Ale, que ganhou medalha de prata, pode ser considerada a grande vencedora, já que ninguém alcançou a medalha de ouro. Este prêmio nos mostra que estamos no caminho certo e nos motiva a buscar cada vez mais a excelência na produção”, diz Tatiani.

A marca de Lauro Müller já conta com distribuidores em toda a região sul catarinense, Florianópolis, Balneário Camboriú, Rio de Janeiro e pela internet em todo o país. Junto à cervejaria tem o Pub Lohn Bier que também comemora este primeiro ano da marca. Além das cervejas e chopes, são servidos pratos, sanduíches e sobremesas preparados por um chef com formação britânica.

Anúncios

Pizzarias à la carte na Região Carbonífera

Há dois anos morando em Criciúma, aos poucos vou conhecendo os bons lugares para degustar de uma boa comida em um sábado à noite. Nos últimos finais de semana, conhecemos duas pizzarias à la carte nas cidades da região e que valem muito a visita. Afinal, uma região onde a gastronomia italiana é tão forte, não tem como não haver boas pizzas, assadas no forno à lenha, para degustar.

Além da boa comida, as duas pizzarias investiram ~ e muito ~ na montagem do ambiente. Com toques rústicos, os salões ficam bem aconchegantes. Para mim, além dos restaurantes servirem pratos saborosos, criar um local que agrade os clientes conta muito na hora de escolher onde ir comer e tornar o momento ainda mais especial.

Continuar lendo

Comida de rua em Criciúma: os FoodTrucks chegam ao Sul de Santa Catarina

Captura de Tela 2015-06-24 às 14.12.36

Não sou a melhor pessoa para falar sobre comida de rua. Não sou mesmo. Conheço muito bem, e apenas, as carrocinhas de cachorro-quente da minha cidade. Eram várias estacionadas sempre no mesmo lugar ~ que vontade me bateu de comer aquilo. Elas estão lá desde quando nasci e por lá permanecerão.

Mas com o tempo, as comidas de rua foram afetadas pelo “raio goumertizador”. Além da comida se tornar diferenciada, os proprietários também preocupam-se com a aparência dos caminhões. Tudo para chamar a atenção do público para o restaurante sobre rodas.

Continuar lendo

Farol de Santa Marta para passear, para descansar

Às vezes eu me surpreendo comigo mesma por esquecer que meu Sul catarinense tem locais bonitos, porém esquecidos por mim. O Farol de Santa Marta é um deles. O pequeno vilarejo, cheio de pousadas e pequenos restaurantes foi construído ao entorno do morro onde está a luz que guia os navios em alto mar!

flickr 2

O Farol de Santa Marta está localizado em Laguna, no Sul de Santa Catarina. O acesso até o local é bom. Há asfalto em boa parte do tempo. Com 27 metros de altura e construído em 1891, o Farol de Santa Marta é um dos mais potentes existentes no Brasil ~ com alcance de 85 quilômetros.

flickr

Desde o início, ele guia as embarcações a passarem longe da Laje da Jagua ~ uma formação rochosa situada a cinco quilômetros da praia, em Jaguaruna. Dá para acreditar que a história conta que até Giuseppe Garibaldi naufragou um navio ali enquanto ia tomar Laguna pelo cabo de Santa Marta durante a Revolução Farroupilha?

farolete

Ah. Nem vou comentar da beleza das praias ao redor do Farol. O local é bastante frequentado por turistas e por surfistas. E sobre ficar sentada nas rochas escutando apenas o barulho do mar? Só indo para saber!

A publicação de hoje foi bastante curtinha, porque o intuito mesmo era mostrar algumas fotos do local! Um ótimo passeio de domingo!

e o oceano

O Gelato italiano em Santa Catarina

Morar em uma região que é cercada pela cultura italiana tem as suas vantagens. Em 20 minutos do agito da cidade, posso aproveitar um lugar tranquilo, cheio de natureza, e saborear da gastronomia italiana. São inúmeros os restaurantes que temos por aqui que levam as delícias da cozinha da Itália para nós brasileiros.

Mas engane-se quem pensa que a gastronomia é feita apenas com galinha, polenta e fortaia. O famoso Gelato Italiano cai muito bem como sobremesa. Para quem não sabe o sorvete é diferenciado daqueles que a gente come normalmente.

Os gelatos são famosos e atraem gente do mundo inteiro para a Itália. Eu nunca fui para lá, então não posso afirmar com certeza como eles são. Mas sei que o verdadeiro gelato não possui aromatizantes, conservantes ou corantes artificiais e sua fabricação é considerada artesanal.

O gelato possui cerca de 60% menos gordura que o sorvete convencional, o que permite sentir o verdadeiro sabor dos ingredientes. Além disso, o “sorvete italiano” é servido a temperaturas mais altas, e é isto que cria a diferença na textura e cremosidade.

Aqui no Sul catarinense existe dois lugares que eu sempre dou um jeito de dar aquela escapadinha e comer gelato. O primeiro deles fica em Siderópolis. Cesa Café, um café bem aconchegante, que além de uma comida deliciosa, serve os maravilhosos sorvetes, de uma cremosidade incrível. A-M-O todos os sabores.

Já em Nova Veneza, a Gheppo também oferece aos moradores e turistas essa delícia. Depois de almoçar nos ótimos restaurantes da cidade, o gelato do local é um convite para a sobremesa.